sexta-feira, 13 de maio de 2016

Rui Fernandes: “Quando se toureia no Campo Pequeno, os níveis de responsabilidade são ainda mais altos que nas outras praças”


Rui Fernandes, cavaleiro que a 5 de Maio cortou duas orelhas na corrida inaugural da feira de Jerez de la Frontera, uma das mais importantes de Espanha, é uma das figuras que integra o cartel da corrida comemorativa da reinauguração do Campo Pequeno, na próxima quinta-feira.
Para o cavaleiro, “Quando se toureia no Campo Pequeno, os níveis de responsabilidade são ainda mais altos que nas outras praças. Temos de estar à altura do prestígio da praça, que é muito justamente considerada a capital mundial do toureio a cavalo. Vir tourear a corrida do 10 aniversário é para mim um motivo adicional de satisfação. É extremamente gratificante ver-me associado a estas duas efemérides e mais um acicate para me entregar ainda com mais ilusão.”
Rui Fernandes diz sentir “um enorme prazer voltar a repartir cartel com João Moura e António Ribeiro Telles” e, a esse propósito, recorda um dos seus sonhos de menino: “Ainda me lembro quando, mal sonhava em ser cavaleiro tauromáquico, no que estas figuras já representavam para mim e no desejo (nesses momentos não passava mesmo de um desejo ou de um sonho) de poder um dia vir a partilhar cartel com eles. Consegui realizar esse sonho e é sempre com enorme prazer que me encontro com estes dois colegas de profissão e amigos. Reencontrá-los neste cartel comemorativo dos 10 anos da reinauguração do Campo Pequeno é um motivo de grande satisfação. Considero-o também um estímulo para os mais novos, e aproveito para lhes deixar aqui um conselho, fruto da minha experiência vivida: Nunca desistam dos vossos sonhos, pois a festa também precisa de ser refrescada e aos jovens cabe-lhes assegurar o futuro da festa.
Ao mesmo tempo, deixa um aviso aos mais novos: ”Não se esqueçam de contar com os veteranos pois nós ainda estamos aí para dar cartas e não serão os cabelos brancos que nos farão baixar a nossa ânsia de triunfo, nem o nosso ritmo competitivo.”
Comparando o antigo Campo Pequeno, onde tomou alternativa, com o Campo Pequeno da actualidade, Rui Fernandes refere existirem diferenças substanciais entre as duas realidades. “O edifício está agora ainda mais carregado de história mas, enquanto nessa época era um edifício decadente, hoje em dia tem grandes traços de modernidade que co-existem com o seu “porte” majestoso e, ao mesmo tempo exótico”, confortável para público, artistas e para os próprios toiros e cavalos.
“Nunca será um edifício perfeito, porque a perfeição em termos absolutos não existe, mas melhorou extraordinariamente”, conclui.

O cartel da corrida comemorativa do décimo aniversário da reinauguração do Campo Pequeno é formado pelos cavaleiros João Moura, António Ribeiro Telles e Rui Fernandes e pelos grupos de forcados Amadores de Santarém e de Lisboa, que lidarão e pegarão seis toiros da ganadaria de Mário e Herdeiros de Manuel Vinhas.

Sem comentários:

Enviar um comentário